Autor: Marketing BT//

Em menos de uma semana entraremos no último trimestre do ano. Passou rápido, não é mesmo?! E o final de ano sempre reserva datas muito especiais como confraternizações entre amigos, Natal e a chegada do Ano Novo. 

Por isso, a BT// aposta que o planejamento é o melhor caminho para envio de dinheiro e para isso estamos com muitas promoções. Além disso, sempre temos um dos melhores câmbios da Europa em nosso site www.bt.digital para facilitar a sua vida. 

Já em outubro, acontece o Dia das Crianças, data consagrada no calendário comercial verde-amarelo. Em novembro há uma ótima oportunidade para antecipar as compras do final de ano na Black Friday. E, finalmente, em dezembro, as festas de confraternização e o natal. 

Se liga nas dicas para se planejar melhor:

  1. Existem alguns excelentes aplicativos de controle financeiro gratuitos no Apple Store ou Play Store. Saber quanto você ganha por mês e quais são os gastos ajuda a controlar despesas e a economizar. É importante conferir saldo bancário ou do cartão diariamente. Alguns dos aplicativos: Mobills (Android / iOS / Web), Spendee (Android / iOS / Web), Wallet (Android / iOS / Web), Guiabolso (Android / iOS), Organizze (Android / iOS), Expense IQ (Android), Fortuno (Android), Orçamento Fácil (Android / iOS).
  1. Guardar dinheiro debaixo do colchão ou dentro do guarda-roupas além de não ser seguro, dificulta o controle financeiro. Pensando nisso, mesmo para quem ainda não tem acesso à conta bancária, a BT// criou o BT Card, que é uma forma de toda e qualquer pessoa ter uma conta e um cartão para movimentar a vida financeira. Para conhecer mais, clique aqui
  1. Não deixe para enviar tudo no final do ano, antecipe as suas remessas aproveitando das nossas promoções e também da nossa versão digital. Organize-se para seu maior conforto e também da sua família/ amigos e pode negociar com um de nossos experts clicando aqui

A importância das remessas em dinheiro para o desenvolvimento nacional

O fluxo migratório sempre ocorreu na história humana e com o desenvolvimento da comunicação e dos meios de transporte, aliado ao fenômeno da globalização, o trânsito de pessoas se tornou ainda mais comum. Consequentemente, há movimentação cultural e econômica.

Historicamente, o maior fluxo migratório ocorre de cidadãos de países em desenvolvimento, que outrora foram colonizados, para países considerados desenvolvidos, outrora colonizadores. Na Europa, por exemplo, os maiores grupos de imigrantes são de países africanos e asiáticos, embora a comunidade latino-americana também seja muito forte.

Ao oferecer a força de trabalho em um país desenvolvido de moeda mais forte, o imigrante obtém a possibilidade de enviar remessas de dinheiro para o país de origem e os valores anuais enviados por essas pessoas representam, em muitos casos, parte significativa do PIB e do desenvolvimento nacional.

Segundo o Fundo Internacional para Desenvolvimento Agrícola (Fida), em 2017, cerca de 750 milhões de pessoas ao redor do mundo foram beneficiadas com o envio de dinheiro por parentes e amigos imigrantes. O Banco Mundial estima que o valor anual está próximo a quantia de US$ 600 bilhões.

No Brasil, somente no 1° semestre de 2021, o país recebeu dos expatriados cerca de R$10,16 bilhões. Em média, o montante das remessas dos brasileiros que moram no exterior ao país representa, anualmente, entre 0.2% e 0.5% do PIB nacional e melhoram a vida de milhares de pessoas. Os estados que sofrem mais impacto positivo na economia com essa atividade são Goiás, Minas Gerais e Rondônia.

Como curiosidade, em países como Cabo Verde, Senegal e Lesoto, por exemplo, as remessas enviadas para esses países contribuem com incríveis 25%, 20% e 30% do PIB respectivamente.

Se você está procurando emprego na Bélgica, na França ou em Luxemburgo, certamente já se deparou com conceitos como CDD, CDI, Intérim, etc.

Diferente do Brasil, nesses países existem muitos tipos de contrato de trabalho, o que pode parecer confuso em um primeiro momento.

Mas calma, aqui vamos te explicar direitinho a diferença entre cada um deles!

  1. Intérim = flexibilidade

Para quem procura oportunidades de fazer um dinheiro extra ou quer ter flexibilidade para trabalhar, o Intérim pode ser a melhor opção!

Intérim, em francês, é a abreviação de travail intérimaire, isto é, trabalho temporário.

Nesse modelo, o empregado não é contratado pela empresa onde trabalha, mas sim por uma agência de trabalho temporário. 

Geralmente são contratos de curto prazo, que podem ser estendidos posteriormente.

As empresas procuram por trabalhadores “intérimaires” nos seguintes casos:

  1. Substituição de um funcionário ausente -Caso um funcionário se ausente por um curto período (por motivos de saúde ou férias, por exemplo).
  1. Aumento temporário das atividades – Ocorre principalmente em função de datas comemorativas. Nesse caso a empresa contrata um trabalhador temporário para reforçar sua equipe.
  1. Emprego sazonal – São as oportunidades de trabalho relacionadas com as estações do ano. Normalmente em estações de ski, praias ou estabelecimentos próximos ao litoral.
  1. CDD = contrato de duração determinada

O CDD também é um tipo de contrato temporário, já que possui uma data de fim definida. Mas é feito para missões mais longas que o Intérim – geralmente de 4 meses a 1 ano de duração.

Muitas vezes, um contrato CDD evolui para o contrato CDI, que não possui duração definida.

  1. CDI = segurança e estabilidade

O CDI é o contrato de sonho para muitos locais e, principalmente, para os estrangeiros.

É um contrato sem data de fim, e representa um alto grau de comprometimento entre a empresa e o empregado.

Demissões ou rescisões desse tipo de contrato são mais complicadas e burocráticas, o que garante ao empregado maior segurança e estabilidade.

Ter um CDI é um ponto que facilita MUITO a vida de quem quer:

  1. Alugar ou comprar um imóvel
  2. Obter um empréstimo
  3. Aplicar para a nacionalidade belga / francesa / luxemburguesa.

Ficou mais claro? Agora é só preparar o seu currículo e buscar o contrato ideal para você!

Escrever_Carta

Os estrangeiros que vão para a Europa em busca de trabalho se deparam muitas vezes com uma exigência além do currículo na língua local: a Carta de Motivação.

Esse documento serve para que o recrutador entenda as motivações do candidato em relação à vaga e os detalhes da sua experiência profissional que não cabem no seu Curriculum Vitae. Também é o meio pelo qual o candidato se apresenta e solicita uma primeira entrevista à empresa.

Para escrever uma Carta de Motivação infalível, é preciso se atentar a algumas regras básicas. Mas não se preocupe, vamos explicar tudo que você precisa saber!

Ao final desse artigo, baixe um modelo GRATUITO de carta de motivação em FRANCÊS prontinho para você usar!

A estrutura

A estrutura recomendada para uma boa carta de motivação é dividida em quatro partes:

1º parágrafo

Inicie a carta explicando porque você está escrevendo para a empresa e indicando a vaga para a qual você deseja se candidatar. O primeiro parágrafo deve ser curto, pois seu objetivo é apenas contextualizar o recrutador sobre o seu interesse em fazer parte da equipe.

2º parágrafo

Fale sobre você! Apresente suas experiências profissionais mais relevantes, especificando as habilidades que você adquiriu com elas. Fale sobre habilidades que tenham uma conexão com a vaga pretendida. Nesse parágrafo, tome cuidado para não repetir muito as informações que já estão no seu currículo. O objetivo da Carta de Motivação é complementá-lo e não repeti-lo.

3º parágrafo

Este é o momento de falar sobre como você pode contribuir para a empresa. Tendo em vista a sua motivação e a sua experiência, o que a empresa pode esperar de você como colaborador, caso seja escolhido?

4º parágrafo

Para finalizar, enfatize que você está à disposição do recrutador para uma futura entrevista. Em uma carta de motivação em francês, é necessário inserir, ainda, uma frase final de cumprimento ao recrutador, chamada “formule de politesse”, como você verá no modelo que preparamos.  

Outras dicas importantes:

1.    Leia atentivamente o anúncio:

O conteúdo da sua carta deve estar alinhado com a vaga anunciada e com os valores defendidos pela empresa.

2.    Uma página é o suficiente

Seja objetivo! Uma carta longa demais pode desestimular o recrutador a analisar a sua candidatura.

3.    Atenção à gramática e à ortografia

Se você ainda não domina completamente o idioma local, peça ajuda a alguém para corrigir a sua carta. Uma boa escrita é essencial para causar uma boa impressão no seu recrutador.

4.      Seja original e verdadeiro

Mesmo que você use um modelo de carta pronto, adapte tal modelo para a sua realidade e suas vivências. Além disso, seja verdadeiro sobre as informações contidas na carta – a falta de transparência pode causar problemas em uma futura entrevista.

Quer ver essas dicas aplicadas na prática?

© 2021 BT//. Avenue Jean Volders 58, 1060 - Saint-Gilles. Bruxelles | +32 2 880 24 90.

A BT//, uma empresa de serviços financeiros e pagamentos, com sede na Avenue Jean Volders 58, 1060 Bélgica, é uma marca comercial utilizada pela Belmoney Transfert SPRL, devidamente registrada e autorizada pelo Banco Central da Bélgica (NBB - RN 829.975.253) de acordo com a Diretiva PSD2 da União Europeia.